segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

A loucura do natal!

Todos sabemos que o natal é a altura dos presentes, e qual é o melhor presente para oferecer a um book nerd? É claro, mais livros.

Começam agora os passatempos de natal, inclusive passatempos para ganhares um exemplar de "Sombras" e um exemplar de "Chamas"... ou dois!

Em parceria com o blogue Emaranhado de Palavras, decidi oferecer um exemplar de "Sombras" e um exemplar de "Chamas" autografados (em separado). Para ganhares só tens de clicar nos respectivos links dos livros que desejas e participar no concurso do blogue. 

A Coolbooks entrou também na euforia da dádiva e está a oferecer mais livros.
Podes participar no seu passatempo com o blogue Emaranhado de Palavras e aumentares a probabilidade de ganhar um exemplar de "Sombras"!

Se já tens este livro, podes ler a sua continuação e ganhar um exemplar de "Chamas", oferecido pela Coolbooks em parceria com o blogue Efeito dos Livros.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

«Chamas» já está disponível

Para quem tem andado à espera deste momento (Eu!) Não stressem, a sequela de «Sombras» já está disponível na Coolbooks. Este novo livro, «Chamas» está repleto de novas criaturas, mitologias e aventuras. A não perder!

Título Original: Chamas
Autor: Patricia Morais
Editora: Coolbooks
Preço: 
            -Livro - 15,50
            -Ebook - 5,39

Sinopse: Diabolus Venator acaba de vencer uma importante batalha - a guerra está, porém, longe de ter terminado. Lilly e Liam são agora perseguidos por Claudius, sedento de vingança após a morte da mulher. 

Louis tenta manter Lilly a salvo do irmão, mas um acidente faz com que reencontre alguns dos seus demónios, ao mesmo tempo que os sentimentos por Lilly se tornam mais intensos. 

Enquanto é confrontada com monstros do seu passado e descobertas sobre quem verdadeiramente é, Lilly vê-se obrigada a escolher entre a amizade e o amor. Conseguirá ela salvar quem realmente importa?

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Desculpem!

Queridos leitores,

Em primeiro lugar gostaria de pedir desculpa pela a ausência. Gostava de poder dizer que a culpa não é inteiramente minha, mas infelizmente não posso. Não posso fingir que sempre fui uma autora muito presente e que sabe o que está a fazer porque não fui. As minhas atualizações quanto aos meus posts ou ao processo de escrita sempre foram irregulares, e por vezes sei que pode parecer que não levo isto muito a sério ou sou uma daquelas divas de cinema que pensa que marketing são para pessoas sem talento.

Aviso já que não sou! Sou uma grande procrastinadora que precisa de aprender a arte da disciplina (espero que seja algo que venha a adquirir neste meu ano na China). Sou também uma escritora que ainda se deixa levar por grandes momentos de falta de inspiração e de preguiça. 

É por isso que «Chamas» demorou tanto tempo a ser concluído, e ainda mais a ser revisto. Mas acho que posso finalmente dizer que o momento está a chegar... Só precisam de aguentar comigo mais uns dias.

Eu sei, a espera já foi longa demais, mas espero que o resultado não seja dececionante.

Avisarei quando chegar a altura!

P.S.: Não é que me esteja a desculpar, mas já se deram conta de quanto dependemos da internet para escrever nos dias de hoje? Quer seja para inspiração, tirar dúvidas, ver imagens daquilo que queremos descrever? Encontrar um lugar na China onde a internet funcione a uma boa velocidade é um pesadelo! E, mesmo que consigamos internet, às vezes não dá para conectar ao VPN que me nos permite ir aos websites como o Facebook, Blogues, Instagrams, etc. 

Não conseguem imaginar a quantidade de vezes que estava no iPad e de repente tudo fica negro e eu penso "Nãaaaaaaao!!! O que aconteceu?" Ou o browser decide dizer-me "Aw, snap!" E às vezes, mesmo quando parece que consegui conectar-me ao Facebook, não consigo atualizar a página para ver comentários, postar likes ou o quer que seja.

Enfim, se gostam de internet... Não se mudem para a China!

terça-feira, 11 de outubro de 2016

"Sombras" anda por aí!


Alguns dos meus amigos decidiram partilhar as suas fotografias com "Sombras".


Parecem excitados por poderem finalmente ter o livro na mão. 

Desde que esta nova edição foi lançada, alguns amigos que se recusavam a ler em ebook decidiram finalmente adquirir o meu livro.


E até mesmo a minha roommate, que como já disse é espanhola, decidiu ver se conseguia ler em português. E, turns out, nós, portugueses, que estamos sempre a gozar que os espanhóis não fazem um esforço para nos entender, fiquem a saber que ela leu o livro todo e percebeu a história. De vez em quando perguntava-me coisas como: "o que é uma faca, o que são calças?" E acreditam que ela nem se apercebeu da cena mais importante entre a Lilly e o Liam. 
Mesmo assim, ela leu e consegue dizer quem são. A sua preferida é a Electra!





sábado, 17 de setembro de 2016

O meu livro já está em papel!!

Deve ser o sonho de qualquer escritor poder mostrar o seu livro a toda a gente, não?
Eu sei que é o meu! 

É óbvio que quando estava à procura de um editora para publicar o meu livro e a Porto Editora me falou nesta nova plataforma que estava a criar, Coolbooks, fiquei um pouco desiludida com o facto de não poder ter o meu livro na mão.

Mas sejamos realistas. Todos sabemos que o mercado literário em português não é fácil. Hoje em dia, os novos escritores precisam de pagar para realizar o seu sonho e trabalharem eles próprios nas suas estratégias de marketing para cobrirem os custos gastos. Li em algum lado que somos dos países da Europa que menos lê! Já imaginaram sonhar em ser publicados num país onde a população já é pequena e ainda por cima ninguém lê?

É óbvio que as editoras têm de ser cautelosas e apostar em quem acreditam vingar mesmo. 

Por isso a Porto Editora, sempre a apostar na educação, decidiu criar a Coolbooks, para que mais autores tivessem a oportunidade de realizar o seu sonho. 

Portanto, admito, fiquei um pouco desiludida, mas mesmo assim fiquei: "HELL YEAH! É a Porto Editora! Se ela diz que quer publicar o meu livro, nem que seja em papel higiénico, eu aceito." 

Esta nova notícia que a Coolbooks apresentou e o facto de todos os novos lançamentos terem uma edição imprimida só prova que as coisas irão acontecer se formos pacientes. Se eu tivesse recusado provavelmente nunca teria publicado o meu livro. E o meu sonho não era ter uma resma de folhas com o meu nome lá escrito. O meu sonho era partilhar o meu trabalho e descobrir o que as pessoas achavam das minhas palavras e imaginação.

É óbvio que tê-lo numa versão impressa me deixou ainda mais feliz e acho que cheguei a andar aos gritinhos pelo corredor da academia. Afinal de contas, quem é que não quer andar a passear pela Muralha da China com um livro e a dizer "Ya, fui eu que escrevi! Sim, já viste o nome na capa? É o meu nome. Queres ver a minha fotografia no interior?" 

Portugal é importante para os chineses

Acabei de chegar a Pequim para passar umas férias com a minha família que veio visitar-me à China e olhem o que encontrei?

Pois é, só haviam duas almofadas e ambas eram de países lusófonos, Portugal e Brasil. Os chineses gostam muito de bandeiras, mas normalmente as mais comuns são as do Reino Unido e Estados Unidos. 

É óbvio que isto é tudo uma coincidência, mas nunca cheguei a contar-vos o episódio de quando eu e a minha roommate estávamos na aula de mandarim a tentar descobrir os nomes em chinês dos nossos países, Portugal e Espanha. 

Estávamos a usar esta aplicação que sempre nos salva a vida, Pleco, e descobrimos os nossos respectivos países:

O tradutor assistente da altura ouviu a nossa conversa e explicou-me o significado do nome: os primeiros caracteres significam uva, uvas e o último significa marfim. Acrescentou ainda que Espanha não tinha significado porque era apenas um país, Portugal era importante para os chineses.

Ora, depois de tantos meses a ser confundida como sendo espanhola. A ser gozada pelos meus colegas pelas minhas constantes birras em que dizia "Português não é espanhol!" E até mesmo ser apelidada de "Consuela, the Brazilian speaking Spanish girl". Isto foi uma vitória, virei-me para a minha roommate espanhola e disse: "Ah! Tu és apenas um país, não importas para os chineses."

I still love spanish people though!


sábado, 10 de setembro de 2016

"Sombras" em versão impressa

Queridos leitores, 


Não é segredo nenhum que nós, escritores, todos sonhamos ser um dia publicados, partilhar com o resto do mundo aquele trabalho que tanto amamos e poder dar a conhecer as nossas histórias. 

Para mim, isso aconteceu há quase dois anos atrás quando decidi publicar "Sombras" com a Coolbooks em formato digital. 

Mas nem todos se rendem aos ebooks, e é um formato que muitos ainda resistem em ler. Pois bem, agora já não há desculpas. A partir de agora, "Sombras" estará disponível em papel na livraria online Wook

Não percam a oportunidade de entrarem no mundo fantástico de "Sombras" e partilhem com todos aqueles que adoram uma boa história repleta de elementos sobrenaturais.