domingo, 15 de setembro de 2013

Regras

Primeiro de tudo, se eu alguma vez tiver a coragem, sorte, determinação e o esforço necessário para publicar um livro, terei de dar os meus agradecimentos a Veronica Roth. Eu não a conheço, nem tão pouco ela a mim, mas o seu blog e conselhos ajudaram-me mais que tudo a escrever.

É claro que agradecer agradecer devo agradecer a J. K. Rowling. Foi graças à sua obra que eu, quando li o Harry Potter e a Pedra Filosofal, me apaixonei pelos livros. A partir daquele momento a minha vida foi alterada e nunca mais nada me foi tão belo quanto abrir uma página de um livro e começar uma nova aventura (DRAMA!!). Podem dizer o que quiserem de Rowling, mas ninguém pode negar o seu talento e imaginação. Ela é capaz de escrever com um detalhe impressionante que chega a ser assustador. Até mesmo para quem não gosta de bruxaria, pois ora bem ela também escreve outros géneros. 

Quanto a Roth? A escrita dela é simples e faz qualquer um apaixonar-se pela leitura. Não tem aquele tipo de linguagem romanceado e dramático que por vezes adormece as pessoas. Quem leu Divergente sabe que é um livro que realmente conta o que aconteceu, não há enroles e linguagem complicada. Daquele tipo em que ficamos sim, isto é tudo muito bonito, mas já adormeci há três páginas atrás só com a tua descrição daquele ramo de árvore. Quando é que começa a história? Não, ler os livros dela é quase como ler um guião de um filme-- é assim que as coisas se passam, não te vou aborrecer mais-- E a química entre os dois personagens principais? É tão palpável que por vezes eu própria tinha borboletas no estômago só de ler. Definitivamente um must em qualquer lista de livros para ler.

E agora vocês dizem, mas ela disse-nos que ia dar muitos bons conselhos de escrita porque infelizmente todos os outros blogs estão em inglês e eu não percebo nada dessa língua... Ao que eu respondo: deviam dar-se por contentes por isto ainda estar no inicio. Ainda é novidade e hei-de escrever praticamente sempre que me lembrar porque ainda estou entusiasmada. Quando já tiver passado algum tempo (nessa parte já estarei nas traduções, a parte interessante) irei perder um pouco a estaleca e aí não serei tão assídua nos posts... perguntem ao diário. Ele é abandonado durante meses a fio... E respondo ainda, este é o meu blog e existem regras.

Regra nº1 - Fazer listas. Porquê? Porque gosto de listas.

Regra nº2 - Sempre dar indicações de como encontrar o artigo original quando traduzimos um conselho.

Regra nº3 - Se falamos acerca de um escritor e conhecemos algumas das suas obras, referimos-as. Daí a minha demonstração com J. K. Rowling e Veronica Roth.

Regra nº4 - Não ter medo de fazer figura de parva... um bocado como pareces na regra nº1. Porquê? Eu explico. Já referi que leio blogs de escritores, não já? A coisa é, eu nunca gostei de ler blogs. Achava aborrecido. Até a data em que uma amiga me mostrou o da Veronica Roth (podes te calar com ela? Bolas, és irritante.... 'tou a brincar... vou continuar a falar dela porque a acho fantástica). Enfim, a maneira como ela escreve no blog dela é tão descontraído e por vezes auto-depreciativo que dá vontade de continuar a ler. Não adormecemos. Já li outros blogs e nenhum me incentiva tanto quanto o dela. Por isso, aprendi que não faz mal fazer figuras de parva se isso ajudar as pessoas a continuar a ler.

Regra nº 5 - Fazer uma lista do porquê ler deve ser incentivado.

Regra nº 6 - Evitar as asneiras. Eu não sou muito de falar asneiras por isso quando digo dá para perceber que estou mesmo furiosa com a situação... mas mesmo a deitar fumo pelas orelhas... É como daquela vez que estava no carro com uma amiga, e ela é que estava a conduzir. Desde que a conheço dá para contar pelos dedos de uma mão quantas asneira ela disse, e quando ela estava a conduzir e saíu-se com "merda" quase tive que me controlar para não me rir, porque a situação nesse momento tornou-se hilariante, mas podia embaraçá-la na condução.

Por isso aí têm... de certeza que me hei-de lembrar de mais regras. 

Sem comentários:

Enviar um comentário