quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

O Método do Floco de Neve para Escrever um Romance - PASSO 9 e 10

Drum roll, please

Finalmente, aqui estão os últimos passos para escreveres o teu romance.

Passo 9) (Opcional) Volta para o processador de texto e começa uma descrição narrativa da tua história. Tira cada linha do documento Excel e expande-a para uma descrição de multi-parágrafos da cena. Introduz quaisquer linhas de diálogo que te lembres e faz um rascunho dos conflitos essenciais dessa cena. Se não existe conflito saberás logo de início e deverás adicionar ou apagar a cena.

Se seguires o conselho do autor do artigo, podes escrever uma ou duas páginas de capítulos e começar cada capítulo numa nova página para depois imprimires e poderes facilmente mudar a ordem dos capítulos e rever sem prejudicar os outros. Este processo pode demorar uma semana (dependendo do ritmo) e o resultado é um documento que poderá facilmente ser revisto a vermelho, enquanto escreves o primeiro rascunho e anotas nas margens as ideias que te vão surgindo. Esta é uma boa maneira de escrever a sinopse que muitos escritores se sentem aterrorizados em escrever depois do livro já estar todo escrito, e será bastante fácil se seguiste os passos do 1 a 8. É um protótipo do teu primeiro rascunho (mais ou menos um rascunho dos rascunho?) Imagina seres capaz de escrever um primeiro rascunho numa semana! 

Passo 10) O que falta agora é só sentares-te e começar a teclar o verdadeiro primeiro rascunho do romance. Ficarás surpreendido com a velocidade com que a história voa.

Podes pensar que toda a criatividade já foi mastigada, por esta altura. Bem, não, a não ser que tenhas analisado demais quando escreveste o Floco de Neve. Esta é suposto ser a parte interessante, porque existe muitos problemas de lógica de pequena escala. Como é que o Herói sai daquela árvore rodeada de crocodilos e salva a Heroína que está no barco a ser incendiado? Existe tempo para descobrir isso tudo. Mas também é engraçado, porque já sabes em grande escala como funciona a estrutura do teu romance. Por isso, só tens de resolver um certo limite de problemas e podes escrever relativamente rápido.

Esta fase é incrivelmente divertida e excitante. A vida é demasiado curta para perder tanto tempo a escrever um romance quando este pode ser escrito em metade do tempo.

A meio do primeiro rascunho, o autor faz uma pausa para rever o que está de errado com  os documentos de organização do romance, estes crescem à medida que desenvolves o teu romance.

E agora, esperançosamente, já sabes como escrever um livro. Só resta esperar para ver como sai o produto final e depois a segunda parte do processo: a revisão. Aquele monstro de sete cabeças que contei como odeio e postei alguns comentários de como lidar com ele.

Podem ver aqui:



terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Proposta Editorial

Não sei se é por estar de momento nesta fase e a palavra salta-me mais à vista, ou se realmente tenho andado a mencionar umas quantas vezes no artigo O Método do Floco de Neve para Escrever um Romance a palavra proposta.

Primeiro, o que é uma proposta? Certamente não pensaram que era só acabar a história e Voilá! Vou ser um autor publicado. Na na ni na não. É preciso escrever uma bela cartinha às editoras e tentar despertar o interesse delas pela vossa história, algo que quem já pesquisou em sites ingleses já deve conhecer como "book proposal" ou "query letters".

Mas como ainda não posso falar por experiência própria neste especifico tema, aconselho fortemente a dar uma vista de olhos nestes artigos, que surpreendentemente estão em português. Yei!

Chiado Editora - como editar um livro?
Relógio D'Água Editores - Como Editar Um Primeiro Livro
Blogue Saída de Emergência - Como publicar um livro (ou tentar, pelo menos)


O Método do Floco de Neve para Escrever um Romance - PASSO 5 ao 8

Tanto tempo para traduzir os primeiros passos e este parecem fluir.

Aqui vão mais quatro passos para escreveres um romance:

Passo 5) Tira um dia ou dois para escreveres uma página de descrição acerca de cada grande personagem, e meia-página de descrição sobre os outros personagens menos importantes. Estas “sinopses de personagens” devem contar a história a partir do ponto de vista de cada personagem.

Passo 6) Neste momento, tens uma história sólida e vários fios de história, um para cada personagem. Agora tira uma semana e expande a página de sinopse do enredo para quatro páginas de sinopse. Basicamente, irás expandir novamente cada parágrafo do passo 4 para uma página inteira. Este passo é divertido porque estás a descobrir a lógica de toda a história e a fazer decisões estratégicas. Aqui, irás com certeza querer voltar para trás e re-arranjar as coisas dos passos anteriores ao ganhares uma visão da história e novas ideias são apresentadas.

Passo 7) Tira outra semana e expande as descrições dos teus personagens em diagramas completos, a detalhar tudo o que há para saber acerca de cada personagem. As coisas normais: aniversário, descrição, história, motivação, objectivo, etc. Mais importante ainda, como é que este personagem irá mudar no final do teu romance? Isto é uma expansão do teu trabalho no passo 3,  e irá ensinar-te bastante acerca dos teus personagens. Irás, provavelmente, voltar atrás e rever os passos 1 ao 6 à maneira que os teus personagens começam a tornar-se mais “reais” aos teus olhos e começam a fazer exigências na história. Isto é bom, boa ficção é movida pelos personagens. Toma o tempo necessário para fazeres isto, porque estarás a poupar tempo em longo prazo. Quando acabares este processo, tens a maior parte do que será necessário para escreveres uma proposta. Se já és um autor publicado, então podes escrever a proposta já e vender o teu romance, antes mesmo de o teres escrito. Se ainda não és, então precisas de escrever o teu romance primeiro, antes de o vender.

Passo 8) Podes querer ou não fazer uma pausa aqui. Mas, a certa altura, terás mesmo de escrever o teu romance. Antes de fazeres isso, existe certas coisas que precisas de fazer para tornar aquele horrível primeiro rascunho mais fácil. A primeira coisa a fazer é pegar naquela sinopse de quatro páginas e fazer uma lista de todas as cenas que irás precisar para tornar a tua história num romance. E a maneira mais fácil de fazer é com o Excel.

Por alguma razão, isto é assustador para alguns escritores. Oh, o horror! Aprendeste a utilizar um processador de texto. O Excel é mais fácil (isso é o que ele diz, eu cá gosto de fazer as minhas listinhas e tabelas à moda antiga). Precisas de fazer uma lista das cenas, e estas folhas foram inventadas para fazer listas (NINGUÉM ME VAI OBRIGAR A MEXER COM O EXCEL, mas hei! Tu podes ser mais inteligente que eu por isso, força!)

Faz as listas a detalhar as cenas que emergem as partir das quatro páginas de enredo. Escreve apenas uma linha para cada cena. Numa coluna, lista o POV do personagem. Noutra coluna (larga) conta o que acontece. Se quiseres armar-te em chique, adiciona mais colunas que dizem quantas páginas esperas escrever. A folha de Excel é ideal, porque permite-te ver o enredo de uma só vez, e é mais fácil mexer nas cenas para reorganizar as coisas.


Pode demorar uma semana fazer uma boa tabela. Quando terminares, podes adicionar uma nova coluna com o número de capítulos e atribuir capítulos a cada cena (reconsiderei, talvez irei utilizar Excel só desta vez).

E agora, ele falou em pausa por isso vamos fazer uma. 

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

50 Dicas para Escrever Melhor - Dica Nº 18

Dica nº18: Divulgue e distribua as suas histórias.

Ninguém se torna escritor do dia para a noite. É preciso disciplina, persistência e, acima de tudo, treino. É por isso que, dificilmente, as nossas primeiras histórias serão alguma vez publicadas. A não ser que sejamos mesmo talentosos. Até mesmo a primeira de J. K. Rowling, aos seis anos, foi basicamente uma cópia de outro livro sobre um coelhinho que ela tinha lido. Mas mesmo assim não significa que as nossas histórias não tenham potencial e seria um desperdício ter tanto trabalho para ficarem agora escondidas a apodrecerem. 

Mostra aos teus amigos, familiares, professores, pergunta pela opinião deles. Pode ser desmoralizador ter algumas críticas quanto a um trabalho que tanto gostámos de desenvolver,  mas acreditem: críticas melhora o nosso potencial e torna-nos melhores escritores.

O Método do Floco de Neve para Escrever um Romance - PASSO 1 ao 4

Ok, este é o meu primeiro post do ano, e devo admitir que não estou orgulhosa com o facto de vir tão tarde. Mas vocês sabem... início do ano também significa concentrarmos-nos naquelas resoluções que nunca concretizamos no resto do ano como: ir ao ginásio mais vezes, prestar mais atenção ao estudos, entre outros. E a resolução de prestar mais atenção aos estudos é algo com que tenho andado ocupada nas últimas semanas com todos os deadlines para os essays, mas estes estão quase a acabar e prometo ser mais assídua a partir de agora (acabei de fazer outra resolução de ano novo, por isso não me batem se acabar por não cumprir).

Agora, se já chegaram a este artigo devem-se lembrar que eu prometi traduzir o Método do Floco de Neve para Escrever um Romance, coisa que tenho feito, mas o método é mais longo do que estava à espera e ligeiramente uma repetição do que foi dito no Como Escrever um Livro em 60 Dias ou Menos, mas mais pormenorizado. Com isto tudo achei que podia correr o risco de se tornar aborrecido para algumas pessoas (e para mim por ter de traduzir quase 3,000 palavras), e decidi dividi-lo em partes. Mas não se deixem enganar, é um bom método para começar a escrever um romance e acho que esta vai ser a primeira vez que menciono nomes aqui mas, Raquel Frade, este é especialmente para ti e como começares, por isso promete-me que vais fazer os passos um por um.

Começando: 
A importância do design
Boa ficção não acontece simplesmente, é organizada. Podes organizar o teu trabalho antes ou depois de teres escrito o teu romance. Já fiz das duas maneiras (Randy Ingermanson) e acredito fortemente que fazer antes tem melhores resultados. O design é trabalhoso por isso é importante ter um princípio por onde te guiares desde o início. 

A pergunta fundamental é: Como organizas um romance?

Antes demais, repara neste floco de neve! (Aqui está, finalmente, a resposta ao porquê deste nome!)

Esta imagem é um objecto matemático amplamente estudado. Mas os primeiros passos para construir este floco de neve, não têm nada a ver com um floco de neve. Têm este aspecto:
 
Se tiveres uma versão actualizada do Java (eu não tenho) podes visitar este site para perceber melhor como funciona.

É assim que se cria um romance: começasse por um pequeno passo e constrói-se à volta até começar a ter o aspecto de uma história. A maior parte é trabalho criativo. Mas a outra parte é gerir a tua criatividade e organizá-la num romance bem-estruturado.

Se és como a maioria das pessoas, passas demasiado tempo a pensar no teu romance antes de sequer começares a escrevê-lo. Podes fazer pesquisa. Sonhas acordado/a sobre como vai funcionar a história. Fazes brainstorm. Começas a ouvir as vozes dos diferentes personagens. Começas a pensar sobre o que é o livro – o grande tema. Esta é uma parte essencial chamada de “compostagem”. É um processo informal e cada escritor reage de maneira diferente. Vamos assumir que sabes compor as ideias para a história e que já tens um romance bem-composto na tua cabeça e que já estás pronto para te sentares e começares a escrever o teu romance.

Ok! Agora começa a parte interessante.

Dez passos de Design
(Oops, ainda não)
Antes de começares a escrever, precisas de te organizar. Precisas de colocar todas essas ideias maravilhosas no papel de forma a poderes usá-las. Porquê? Porque a tua memória é falível, e a tua criatividade pode ter deixado lacunas na tua história – estas precisam de ser preenchidas antes de começares a escrever o teu romance. E precisas de fazer isto num processo que não mate a vontade de escrever a tua história. 

(Ok, agora é que é)
Aqui estão os 10 passos (pelo menos, os primeiros passos):

Passo 1) Tira uma hora e escreve um resumo de uma frase para a tua história. Algo do género: “Um físico trapaceiro viaja atrás no tempo para matar o apóstolo Paulo.” A frase guiará-te como uma ferramenta de venda rápida. Este é o grande tema, o análogo daquele grande triângulo de início na fotografia do topo. É o isco que atrai os editores e, mais tarde, leitores.

Alguma dicas acerca do que faz uma boa frase:
  • Mais curto é melhor. Tenta não escrever mais do que 15 palavras.
  • Tenta não incluir nomes (apesar de ter lido muitas diferentes frases e muitas delas têm nomes, mas se o teu personagem tem algo que o torna distinto é melhor se te focares nessas características).
  • Liga o grande tema ao tema pessoal. Qual é o personagem que tem mais a perder nesta história? Agora conta sobre o que ele ou ela quer para ganhar.

Passo 2) Tira outra hora para expandir a frase num parágrafo inteiro a descrever o arranque da história, os grandes desastres e o final do romance. Este é o análogo da segunda fase do floco de neve. O autor do artigo, por exemplo, gosta de estruturar a história em três grandes desastres e cada desastre tira um quarto do comprimento do romance para desenvolver (de certeza que já deves ter lido livros com Parte 1, Parte 2 e Parte 3). As coisas no primeiro acto podem-se desenvolver por circunstâncias externas, mas no segundo e terceiro acto, geralmente acontecem devido às tentativas do protagonista em “resolver as coisas”. E as coisas só pioram…

Este parágrafo também pode ser utilizado na proposta do teu livro. Idealmente, o teu parágrafo deve ter cinco frases. Uma frase para o arranque e o cenário. Depois uma frase para cada um dos três desastres. E depois uma frase para o final. Este parágrafo resume toda a história.

Passo 3) O passo acima dá-te uma boa perspectiva do teu romance. Agora, precisas de algo semelhante para o enredo das tuas personagens. Personagens são a parte mais importante do teu romance e o tempo que investes em desenvolve-las primeiro, irá compensar quando começares a escrever.

Para cada grande personagem tira uma hora para escreveres um resumo de uma página que diga:
  • O nome da personagem.
  • Uma frase que resuma a história do personagem.
  • A motivação do personagem (o que ele/ela quer inconscientemente).
  • O objectivo do personagem ( o que ele/ela quer concretamente).
  • O conflito do personagem (o que o impede de conseguir atingir tal objectivo).
  • A epifania do personagem (o que ele/ela irá aprender, como irá mudar).
  • Um parágrafo que resuma a história do personagem.

Um ponto importante: podes dar por ti a ter de voltar atrás e rever a tua frase ou parágrafo de resumo. Força! Isso é uma coisa boa – significa que os teus personagens estão a ensinar-te coisas acercas da tua história. É sempre aceitável ir atrás e rever qualquer parte do processo de criação em qualquer fase. É inevitável.

Outro ponto importante: não tem de ser perfeito. O propósito de cada passo é poderes avançar para o próximo passo. Manter as ideias a fluírem, podes sempre voltar atrás e alterar quando entenderes melhor a história.

Passo 4) Por esta altura, deves ter uma ideia, em larga escala, acerca da estrutura do teu romance, e terás gasto apenas um dia ou dois, mas não importa. Se a história tiver falhas, saberás agora, ao invés de investir 500 horas a pensar no primeiro rascunho. Por isso, agora continua a crescer a história. Tira várias horas para expandir cada frase do parágrafo resumo em parágrafos inteiros. Todos, menos o último parágrafo, deverá acabar em desastre. O último parágrafo deverá dizer-te como acaba o livro.
Isto é divertido (pelo menos é o que ele diz), e no final do exercício tens uma página decente do esqueleto do teu romance. Não faz mal se não conseguires enfiar tudo dentro de uma página só, o que importa é que estás a cultivar ideias para a tua história. Estás a expandir o conflito. Deverás ter agora uma sinopse decente.

Se já cumpriste tudo até este passo, já  avançaste bastante num dia ou dois de trabalho (dependendo do quão longa é a tua história ou quantos são os teus personagens), por isso, vou deixar-te fazer uma pequena pausa e BOA SORTE!